FUTEBOL DE CAMPO

FUTSAL

SELEÇÃO BRASILEIRA

Mais Esportes

CONFIRA MAIS

Galeia de Imagens

Jogos Intermunicipais têm primeiras partidas no final de semana

Começam neste final de semana, os Jogos Intermunicipais do Rio Grande do Sul (JIRGS). Com objetivo de promover o intercâmbio sócio, técnico e desportivo entre municípios de todas as regiões do Estado, a competição se inicia com os torneios de vôlei masculino da Região 1, que engloba municípios da Região Metropolitana e Litoral Norte, e de basquete masculino da Região 3, com cidades da Região Noroeste do Estado.
O JIRGS terá disputas de atletismo, basquete, futsal, handebol, judô, natação, vôlei e vôlei de praia. Os torneios das modalidades se estendem até dezembro, com a primeira fase sendo dentro das regiões. A tabela completa da primeira fase está no sitewww.fundergs.rs.gov.br/conteudo/1008/jirgs.
VÔLEI E BASQUETE – Times representando sete cidades da Região Metropolitana e do Litoral Norte, divididos em dois grupos, disputam a primeira fase do torneio de vôlei masculino da Região 1 do JIRGS. O Grupo A terá as partidas no Ginásio Agostinho Cavasotto (Rua Portugal, s/n), em Novo Hamburgo, a partir das 9h de sábado. Estão na chave as equipes de Novo Hamburgo, Torres, Guaíba e Porto Alegre.  No Grupo B estão os times de Eldorado do Sul e Canoas. A partida será disputadas no ginásio da Escola Municipal de Ensino Fundamental David Riegel Neto (Avenida Emancipação, 664, Centro), às 15h.
Já as equipes de basquete masculino que representam as cidades de Santa Rosa, Santo Ângelo e Ijuí entram em quadra a partir das 10h de domingo, pela Região 3. Os jogos serão no Ginásio Municipal de Ijuí (Rua Goiás, 745, bairro Assis Brasil).
Saiba mais
O que: torneios de vôlei e basquete masculinos dos Jogos Intermunicipais do Rio Grande do Sul (JIRGS)
Quando: sábado (2/8) e domingo (3/8)
Onde: Novo Hamburgo e Eldorado do Sul (no sábado) e Ijuí (no domingo)

Canguçuense enfrenta o Pelotas

A escolinha do Canguçuense vem por meio dessa convidar a todos para mais uma rodada do campeonato regional, pela liga zona sul de futsal, a realizar-se neste domingo (03/08/2014) a partir das 9:00 da manhã,no ginásio Elmo Peter, onde estaremos recebendo a escolinha do Esporte Clube Pelotas em 4 categorias: iniciação, pré mirim, mirim e infantil.

Ingressos serão no valor de R$4,00.Desde já agradecemos a presença de todos !

Assinado: a diretoria

O ciclo de Ronaldinho Gaúcho no Atlético-MG termina

 
Bruno Cantini/ Clube Atlético Mineiro
Um sentimento diferente pairou sobre a Cidade do Galo na despedida de Ronaldinho Gaúcho. Após 25 meses com a presença do craque quase que diariamente na rotina de todos no centro de treinamentos alvinegro, a partir desta quinta-feira os funcionários passam a conviver com o vazio deixado por um maiores ídolos da história do Atlético-MG, um craque reconhecido mundialmente.



A presença maciça da imprensa e o comparecimento de centenas de torcedores na porta do CT atleticano na quarta-feira da despedida chamou a atenção. Assim como ocorreu no dia 4 de junho de 2012, quando helicópteros sobrevoavam o local para registrar o primeiro treino do craque no Galo – à época, no entanto, o então camisa 49 havia chegado sem alarde.



De lá para cá, a rotina do Atlético-MG mudou. Da Cidade do Galo nem se fala. Trabalhar ao lado de R10 não alterou apenas o cotidiano dos funcionários no trabalho: mudou o dia a dia de muitos deles. O segurança Lúcio Fábio destacou a mudança que o jogador fez na vida dele. O funcionário era o mais próximo do craque. Nas viagens internacionais, um dos encarregados de proteger o craque das multidões.

– Hoje o dia é um pouco triste. Ele mudou minha vida, tanto profissional quanto pessoal. É um amigo que fiz, com quem compartilhei momentos que poucas pessoas puderam compartilhar. Além disso, meu trabalho foi reconhecido em todos os lugares, e isso foi ele quem proporcionou – disse.



Lúcio confessou que não conseguiu dizer "adeus" ao amigo. Preferiu cumprimentá-lo apenas na chegada ao CT. O jogador se despediu dos companheiros antes da entrevista coletiva, vista por Lúcio à distância, já que o segurança tinha que manter a ordem no pátio da Cidade do Galo, que ficou cheia de curiosos e torcedores em busca da última foto com o ídolo.



O mordomo "Seu Du" não escondeu o sentimento ao ver R10 passar por entre os torcedores que estavam na Cidade do Galo.



– Vamos sentir muita falta dele – disse, com semblante de tristeza.
As emoções de Ronaldinho Gaúcho eram visíveis. As lágrimas que pareciam insistir em cair não caíram. No longo abraço no presidente do clube, Alexandre Kalil, e em integrantes da diretora executiva, elas quase rolaram enquanto R10 seguia rumo à sala de imprensa. Antes da conversa com os jornalistas, cochichou para o mandatário: "Você é o cara".



Última entrevista



Na saída da sala de imprensa, após a coletiva, Ronaldinho atendeu a todos pacientemente. Deu autógrafos, tirou fotos e se despediu dos funcionários. Um a um, exibindo no rosto a satisfação do dever cumprido nos 25 meses em que esteve no Atlético-MG, período em que o clube conquistou o título mais importante da sua história: a Taça Libertadores, em 2013. Vai levar, além das recordações de jogos e viagens, um Galo de Prata, honraria dada pelo clube a atleticanos de destaque.



Preparador físico do clube, Carlinhos Neves sintetizou de maneira realista o que, a partir de agora, terá de ser entendido por todos no clube.



– Não fica uma tristeza para mim, porque estou há anos no futebol e muito acostumado ao entra e sai de jogadores nos clubes. Amanhã poderá ser eu, e a vida segue. Ronaldo é um atleta excepcional, dispensa comentários por tudo o que conquistou na carreira, por ter elevado o nome do Atlético.
Ao deixar o CT, Ronaldinho ainda deu alegrias para centenas de torcedores que esperaram durante toda a tarde para ver o ídolo, nem que fosse de longe. Os gritos e pedidos de fotos e autógrafos sensibilizaram o craque, que aproveitou o carro com teto solar para colocar metade do corpo para fora e agradecer o apoio do torcedor. 

Derrota brasileira na Copa do Mundo pode ser usada para trabalhar habilidades


POR FERNANDA KALENA

Fim de Copa do Mundo, Alemanha campeã, e o Brasil fora da grande festa da final após ser eliminado por um placar embaraçoso de 7×1. Na escola, tanto essa quanto qualquer outra derrota pode ser usada como gancho para trabalhar nas aulas de educação física habilidades socioemocionais que moldam o caráter e preparam os alunos para a vida, como aprender a lidar com perdas, trabalhar em equipe e aceitar e obedecer regras.

Para Fernando Lobo, gestor pedagógico da Rede de Ensino Desportivo (REDE),  instituição de ensino voltada para a capacitação de profissionais ligados a esportes, os grandes eventos esportivos são um bom pretexto para colocar em prática atividades que envolvem o desenvolvimento de questões não cognitivas. “Nos esportes em geral, sempre vai ter um perdedor e um vencedor. Nas aulas de educação física, algumas modalidades esportivas como o futebol podem ser usadas como ferramentas de desenvolvimento não só motor, mas também socioafetivo”.

Segundo ele, preparar os alunos para lidar com vitórias e derrotas é papel do educador físico, que deve propor atividades com esse fim. “É importante deixar claro que perder é natural e que em um próximo jogo quem perdeu pode ganhar. Em uma atividade de jogo, o professor pode mesclar os alunos de forma que um time fique mais forte que o outro para que todos passem pela experiência de ganhar e perder”, explica Lobo, que ainda acrescenta  que cabe ao professor manipular e induzir situações para que todos os alunos vivenciem os dois lados da moeda.

“Crianças, em geral, mas principalmente as na primeira infância, têm dificuldade em perder, muitas vezes chegam a burlar regras para poderem vencer, e isso deve ser trabalhado”, explica o gestor. Ele também ressalta que outra questão importante a ser trabalhada é o seguimento de regras. “Regras são extremamente importantes como limitadores de atitudes”, completa.

O coordenador do curso de educação física do Colégio Presbiteriano Mackenzie, de São Paulo, Ronê Paiano, acrescenta que as regras devem ser trabalhadas em uma perspectiva reflexiva, que esclareça por que elas existem e abrindo espaço para que os alunos as questionem. “As regras do esporte podem ser transferidas para a vida em geral. Não existe convívio social sem regras”, afirma. “É interessante questionar os alunos se é possível jogar sem regras, pode até coloca-los para jogar alguma coisa sem regras, para faze-los entender a necessidade delas”, completa o coordenador, que ressalta que atividades regradas desenvolvem atitudes honestas e o falar a verdade.

Outro habilidade de grande importância que os esportes coletivos dão abertura para ser trabalhada é a colaboração, a importância do trabalho em equipe.

“Nos esportes coletivos, além da competição com o adversário, é necessário se relacionar com os colegas de time. Para que o grupo tenha sucesso, é fundamental aprender a trabalhar em conjunto e para isso é preciso respeitar as escolhas e as atitudes dos outros como, por exemplo, reconhecer quando é melhor passar a bola para um colega melhor posicionado ou mesmo compreender se alguém errar uma jogada”, explica Paiano.

Segundo ele, o professor pode instigar os alunos a perceberem que atitudes individualistas não são benéficas em atividades coletivas permitindo que a turma debata jogadas e estratégias em conjunto. “Os alunos têm que ser levados a essa reflexão, o professor pode incitar a conversa, mas entre adolescentes, por exemplo, é mais proveitoso o debate entre pares”, argumenta.

Os valores trabalhados e desenvolvidos através do esporte nas aulas de educação física, como colaboração e lealdade, são aprendizados que serão levados por toda a vida, segundo Lobo.  “Todo mundo convive com vitórias e derrotas, no esporte e na vida. Trabalhar em equipe e colaborar com o outro, também. As crianças têm que interiorizar essas sensações, pois sempre estarão presentes em suas vidas”, conclui.


 

Municipal de Futsal 2014 - Artilharia e controle de cartões



Atletas Suspensos No Campeonato Municipal De Futsal

Sub-17

Yuri B. De Oliveira – Canguçuense – 2 Amarelos = 1 Jogo

Blender Retzlaff – União Palmeiras – 1 Vermelho – 1 Jogo

Veterano

Leisner Born – Casa Do Estofador – 2 Amarelos = 1 Jogo

Eldomar Venzke – Simca – 2 Amarelos = 1 Jogo

Série Prata 

Mauricio Bierhals – Boca Jr. – 2 Amarelos = 1 Jogo

Alessandro Santos – Integração – 2 Amarelos = 1 Jogo

Daniel S. Weege – Nem Te Abala – 1 Vermelho = 1 Jogo




Principais Goleadores Do Municipal De Futsal

Série Ouro 

Rafael Roloff – Atalanta – 19 Gols

Leonardo Fonseca – Moura Veículos – 11 Gols 

Lucas A. De Lima – Trianon – 9 Gols 

Tiago Duarte – Chelsea/Gás & Cia – 8 Gols 

Anderson Souza – Chelsea/Gás & Cia – 8 Gols 

Luciano Schellin – Chelsea/Gás & Cia – 7 Gols

Cristiano Bertinetti – Não Bóca – 7 Gols 

Série Prata 

Alessandro Santos – Integração – 17 Gols 

Vagner Schwartz – Spartak – 13 Gols 

Vilson Alex Mesquita – Restoio – 12 Gols 

Luis Fernando Bierhals – Boca Jr. – 11 Gols 

Gabriel Bierhals – Boca Jr. – 11 Gols 

Israel Saraiva – Gurizada Da Vila – 10 Gols 

Feminino 

Joseléia Rojahn – Estãncia – 6 Gols 

Josiane Röpke – Estância – 6 Gols 

Ritiéle Soares – Simca – 4 Gols 

Letícia Pureza – Trianon – 4 Gols 

Geni Klumb – Raio De Luz – 3 Gols 

Lizandra Duarte – Cruzeiro – 3 Gols 

Tiele Winkel – Cruzeiro – 3 Gols 

Gabriane Barbosa – Simca – 3 Gols 


Veterano 

Joel Mendes – Trianon – 5 Gols 

Leisner Born – Casa Do Estofador – 5 Gols 

Anderson Rosa – Trianon – 4 Gols 

Sandro Oliveira – Simca – 3 Gols 

Francisco De Campos – União Palmeiras – 3 Gols 

Lucio De Campos – União Palmeiras – 3 Gols


Leandro Borchardt – Cristal – 3 Gols 

Antônio Rodrigues – Atalanta – 3 Gols 

Cleider Domingues – Excluídos – 3 Gols


Sub-17 

Jean Lucas Barres – Trianon – 5 Gols 

Alexandre Martins – Penharol – 4 Gols 

Guilherme Vargas – Cruzeiro – 4 Gols 

Lucas Griep – Cruzeiro – 3 Gols 

Timóteo Ramson – Canguçuense – 3 Gols

Informações Núcleo de Esportes
Prefeitura de Canguçu

No coração da Maior e Mais Fiel

Começo triunfal
Felipe Garcia é recém chegado no Bento Freitas e em poucas semanas já mostrou que pode conquistar o coração da Maior e Mais Fiel

Ele foi o autor de um dos gols da última vitória Xavante diante da Cabofriense e foi um dos destaques da partida. Recém chegado ao Bento Freitas, Felipe Garcia desfruta da confiança de Rogério Zimmermann. O atacante já garantiu o entrosamento com os colegas de clube e agora planeja voos altos com a camisa vermelha e preta. O próximo passo é diante do Maringá, às 16h do domingo (3), na cidade paranaense, na terceira rodada da Série D do Brasileiro.

Tento a velocidade como uma das principais características, Felipe Garcia e o time do Brasil foram velozes para pressionar a Cabofriense no jogo do último domingo (27). Com menos de um minuto de jogo, os guerreiros Xavantes já haviam mostrado que não dariam vida fácil ao adversário. Dominaram todo o primeiro tempo e foram coroados com um gol de Garcia. Foi o primeiro gol em partidas oficiais do atacante rubro-negro.

- Fiquei muito feliz de marcar o primeiro gol, e principalmente ajudar a nossa equipe a conseguir a vitória. Conseguimos impor nosso ritmo de jogo, fizemos tudo aquilo que o professor Rogério vem trabalhando no dia a dia, e deu certo, fomos felizes e vencemos a partida. Agora, a atenção total é na próxima partida – falou o atacante.

Mas para Felipe Garcia, o jogo contra a Cabofriense já é passado. O foco agora é todo no Maringá. O Brasil segue firme no objetivo de conquistar a vaga para a Série C do Campeonato Brasileiro e o atacante sabe que cada jogo é uma decisão. Por isso, ele e seus companheiros buscam uma motivação extra para cada partida da competição. Uma das boas motivações é o apoio incondicional da Maior e Mais Fiel.

- O jogo mais difícil, com certeza, será o próximo. O Maringá. Temos que pensar somente nesta partida, e trabalhar mais forte ainda durante a semana. Temos consciência que o jogo vai ser muito difícil, pois o Maringá á uma grande equipe, conseguiu um resultado bom fora de casa, e dentro dos seus domínios vai querer impor o futebol deles, mas nós temos que fazer o nosso e buscar o resultado – completou Garcia.

FOTO: Carlos Insaurriaga / GEB

Jonathan Silva
Assessoria de Imprensa GE Brasil
Select Menu